terça-feira, outubro 17, 2006

Greve Nacional de Professores


Eu faço greve!
Gosto muito da minha profissão e não me resigno a ser tão maltratada como tenho sido nos últimos tempos.
Sei que mereço melhor! Tenho feito o que posso para o conseguir. Neste momento, a forma mais visível que tenho para demonstrar o meu descontentamento é a greve. Espero que, também, os meus colegas de profissão respondam claramente a esta convocatória.
Afinal, o que são dois dias de desconto no ordenado comparados com tudo o que nos têm retirado e pretendem ainda retirar?
A mim já me congelaram há um ano e não há forma de vir o degelo, pelo contrário...

8 comentários:

  1. Armanda, estou contigo!
    A união faz a força!!

    ResponderEliminar
  2. Nã sei é como muitos colegas com a justificação de perder muito dinheiro não tenham aderido á greve( razões para que a minha escola não tenha aderido totalmente à greve ).Vão perder muito mais..Eu estou os dois dias de greve e assim mostro a minha indignação para com tal processo e falta de negociação. Amanhã e minha escola deve fechar..Abraço.

    ResponderEliminar
  3. 81% de adesão. Estamos todos de parabéns. Amanhã a luta continua!
    Estamos todos juntos.
    "Sócrates aprende, o povo não se rende".

    ResponderEliminar
  4. Um braço só não faz a força! (provérbio de Moçambique)
    UNAM-SE!!!!!

    ResponderEliminar
  5. Armanda,
    Sou professor também.
    Estou solidário contigo.
    Abraços,
    Pedro

    ResponderEliminar
  6. isso mesmo... os alunos agradecem a folga... LOL...

    ResponderEliminar
  7. Os sindicatos lutaram sempre muito mais: 1- por interesses corporativos do que pela totalidade da classe; 2- por promover os menos qualificados; 3 - lá por serem licenciados não quer dizer que tenham obrigatóriamente emprego (nunca serão médicos e os médicos têm uma Ordem que sempre limitou os cursos e as suas entradas); 4- o ensino superir privado ajudou a acabar convosco ouçam a classe;

    Os sindicatos nunca lutaram por:
    1- informar que o OGE é limitado;
    2 - dizer que a progressão nas carreiras não pode ser automática; 3- há naturalmente professores competentes e há outros também; 4 - a selecção tem que se fazer sempre por cima,( mais qualidade) nunca por baixo ou pela mediana; 5 - em sítio algum e em profissão alguma todos podem atingir o topo da carreira; 5 - há alguns professores incompetentes, alguns baldas, muitos a fazer que dão aulas, outros sem engenho,outros a tarbalharem cá fora, sendo professores, mas dizendo mal da classe, etc. portanto...; 6 - finalmente há sempre quem queira chefiar ou mandar, portanto, não faltarão voluntarios oferecidos para vos comandar;

    É só fazerem o favor de aguardarem e escusam de esperar sentados, pois será já amanhã...

    ResponderEliminar
  8. E se há coisa com que eu embirre é com gente que sabe muito, mas não é capaz de assinar aquilo que escreve!Custava muito fazê-lo?Opiniões são opiniões e concordo com alguma coisa do que diz: temos que nivelar por cima. Que eu saiba (mas posso estar enganada!) em qualquer profissão se pode atingir o topo, só que nem todos o atingem. Da mesma forma, os professores, enquanto professores, deverão continuar a poder atingir o topo da carreira desde que cumpram a sua obrigação, embora nem todos possam ser presidentes do conselho executivo ou directores regionais ou coordenadores,... porque ou não têm vocação, ou não são escolhidos ou não têm perfil...
    Claro que há incompetentes, como em todas as profissões, mas também há professores geniais e eu, enquanto aluna, tive exemplos de tudo, principalmente de professores que cumpriam satisfatoriamente a sua missão.

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue

Sitemeter