segunda-feira, outubro 30, 2006

Fernando Pessoa

Tudo o que faço ou medito
Fica sempre na metade.
Querendo, quero o infinito.
Fazendo, nada é verdade.

Que nojo de mim me fica
Ao olhar para o que faço!
Minha alma é lúcida e rica,
E eu sou um mar de sargaço.

Um mar onde bóiam lentos
Fragmentos de um mar de além…
Vontades ou pensamentos?
Não o sei e sei-o bem.

1 comentário:

  1. Silvia Magalhães10/30/2006 8:56 da tarde

    "Não sei o que digo,/ Não sei o que penso./ O frio não passa/ E o tédio é imenso." Muito bem escolhido para o primeiro dessa iniciativa. Espero que os alunos possam descobrir muitos e novos mundos nas páginas dos livros.

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue

Sitemeter