terça-feira, agosto 12, 2008

Nasceu há 101 anos

Ficam as Sombras

Não. Não podeis levar tudo.
Depois do corpo,
E da alma,
E do nome,
E da terra da própria sepultura,
Fica a memória de uma criatura
Que viveu,
E sofreu,
E amou,
E cantou,
E nunca se dobrou
À dura tirania que a venceu.

Fica dentro de vós a consciência
De que ali onde o mundo é mais vazio
Havia um homem.
E sabeis que se comem
Os frutos acres da recordação...
Fantasmas invisíveis que atormentam
O sono leve dos que se alimentam
Da liberdade de qualquer irmão.

Miguel Torga, in Antologia Poética,Publicações D. Quixote

1 comentário:

  1. Vou de férias. Vim deixar um beijinho. Até Setembro ;)

    Boas Férias!

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue

Sitemeter